segunda-feira , dezembro 17 2018
Início / Principal / Na era Guto Ferreira, Chapecoense toma gol em todos os jogos
Guto Ferreira tem três vitórias e um empate em dez jogos. (Foto: Sirli Freitas / Chapecoense)

Na era Guto Ferreira, Chapecoense toma gol em todos os jogos

Desde a chegada de Guto Ferreira ao comando técnico da Chapecoense, a equipe não passa um só jogo sem sofrer gols. A média de tentos tomados na competição é de quase 1,5 por confronto. São 38 gols sofridos em 26 partidas. Somente com Guto, a média é de 1,6. Não houve um só compromisso desde então sem que a Chape não fosse vazada: são 16 gols em 10 jogos.

Mesmo quando vence, a equipe verde não sai de campo sem a meta intacta. Das três vitórias com Guto Ferreira no comando, todas foram de virada. O Verdão saiu atrás e ganhou por 2 a 1 diante do Corinthians, Atlético-PR e Internacional. No empate por 1 a 1 com o Paraná, não foi diferente. A quantidade de gols sofridos faz do time a terceira pior defesa do campeonato. São quase três gols tomados a cada dois jogos.

“Nós sabemos de nosso potencial e do que mais podemos fazer. Temos que achar o equilíbrio. Nossas vitórias nas últimas duas partidas nos mostraram que somos capazes e é isso que temos que ter em mente”, disse o atacante Leandro Pereira.

A quantidade de gols sofridos incomoda a todos no Chapecoense. O treinador Guto Ferreira já externou isso em entrevistas coletivas. Para tentar mudar esse cenário, o treinador tem feito testes e alterações no time titular até encontrar o que considera mais equilibrado. Porém, as formações não ganham sequência por causa dos cartões. No jogo contra o Fluminense, o revés por 2 a 1 na última segunda-feira,24, o zagueiro Thyere e o meia Doffo estavam suspensos. E haverá mais alteração na partida seguinte, domingo contra o Ceará, a situação se repete. O zagueiro Douglas é baixa certa por ter sido expulso.

Foto: Sirli Freitas / Chapecoense

Enquanto tenta diminuir a soma de gols sofridos, a Chapecoense busca aumentar a soma de pontos. Com 28 pontos até agora, tem mais 12 jogos para juntar mais 17 e alcançar os 45, tidos como suficientes para a permanência.

Veja isso

Heróis da permanência #06 – Luiz Otávio, a eficiência necessária

Sem ter vida fácil em nenhum jogo, o zagueiro mostrou a importância de ser eficiente …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *