terça-feira , Maio 22 2018
Início / Competições / Opinião: Ricardinho merece jogar uma Série A pelo Ceará

Opinião: Ricardinho merece jogar uma Série A pelo Ceará

Segundo o repórter Danilo Queiroz, o meia renovou seu vínculo com o Ceará e fica em Porangabussu até o final da temporada 2018

A primeira passagem de Ricardinho pelo Ceará aconteceu em 2007, mas sem muito sucesso ou deixar saudades na torcida. Eram outros tempos, o clube ainda vivia momentos de muita turbulência financeira e brigas políticas. Voltou em 2013 e desta vez para escrever uma das mais belas páginas de jogadores com a camisa alvinegra.

O primeiro jogo dessa jornada foi diante do Horizonte, era um sábado à tarde, um amistoso preparatório para a temporada.

Logo nos primeiros toques na bola a torcida começou a ver que tinha algo diferente naquele camisa 10 – Sim! Ricardinho atuou com a 10 – e era um diferente que animava a quem assistia.

Visão de jogo, passes precisos e uma certa liderança, além de uma identificação imediata com a camisa alvinegra.

Ricardinho deixou sua marca em uma de suas especialidade, de falta, o meia anotou o gol de empate do Vozão na partida, depois ainda contribuiu com uma assistência para Vicente virar o placar. A partir dali o que se viu foi uma empatia forte entre torcida e jogador.

Mas um jogador não consegue encantar uma torcida, com o nível de cobrança como a do Ceará, só com gols e passes, é preciso mostrar mais que isso.

Ricardinho sempre demonstrou respeito pelo Ceará, e não é tido com ídolo pela torcida à toa.

Em todas as vezes em que foi assediado para sair ele não colocou “a faca no pescoço da diretoria”. Soube entender os dois lados, reconheceu o momento do clube e foi aí onde ele “ganhou” a torcida.

O meia bateu na trave para conseguir o acesso em 2013 e 2014, com o alvinegro. Foi importante na fuga do rebaixamento em 2015, decisivo no título da Copa do Nordeste em 2015, além do tão sonhado acesso à elite do nacional em 2017.

Leia Mais: Ricardinho: de que são feitos os ídolos?

Justa e necessária permanência

A qualidade técnica de Ricardinho é inquestionável. Para muitos, o camisa 8 alvinegro tem vaga em muitos times do futebol brasileiro, perder um jogador do nível de Ricardinho seria um erro grave na montagem do elenco para a próxima temporada.

Em 2018 o Ceará irá disputar quatro competições: Campeonato Cearense, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e a Série A, portanto, é de suma importância ter um grupo de jogadores qualificado para a disputa destas competições, e a qualificação passa pela manutenção da base do trabalho implementado em 2016.

Veja isso

Clubes definem proposta para nova Copa do Nordeste em 2019

Regulamento da edição 2019 prevê dois grupos de oito e times do G7 querem formato …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *