segunda-feira , dezembro 17 2018
Início / Ídolos / Ricardinho: de que são feitos os ídolos?
Ricardinho completará neste sábado(30) 200 jogos com a camisa alvinegra. (Foto: Portalvinegro / Divulgação).

Ricardinho: de que são feitos os ídolos?

Ricardinho é celebrado e idolatrado pela torcida alvinegra; O maestro alvinegro faz diante do Luverdense sua 200ª participação com o manto alvinegro

Ricardo Dias Acosta, natural de Rosário do Sul, no Rio Grande do Sul. Cruzou o país, vestiu algumas camisas, até retornar à nossa capital, em 2013, para desde então se tornar ídolo no Ceará.

Na sua terceira passagem por Porangabuçu, Ricardinho completa, diante do Luverdense neste sábado (30), 200 partidas vestindo a camisa do Ceará.

Dono de um toque refinado, uma bola parada perigosíssima e de participações decisivas – seja com gols ou assistências -, o gaúcho de 31 anos conquistou um tricampeonato estadual (2013, 2014 e 2017) e o título da Copa do Nordeste (2015) com a camisa alvinegra.

Poucos lembram, mas Ricardinho já atuou pelo Vozão em 2007. Foi uma passagem rápida, mas que deixou as portas abertas para seu retorno em 2013.

A história de carinho do meia com o clube começou a ser escrita a partir de sua segunda passagem por Crslo de Alencar Pinto.

Logo no primeiro semestre o maestro conseguiu fazer uma boa campanha na Copa do Nordeste e levou o clube até as semifinais da competição.

Naquela mesma temporada outra vez o clube bateu na trave e quase conquistava o acesso a Série A do CAmpeonato Brasileiro, mas novamente o talentoso meia foi destaque da equipe.

Em 2014 o Ceará montou um ótimo time e Ricardo era a peça fundamental daquela equipe.

O meia conduzia todas as jogadas ofensivas do time montado por Sérgio Soares.

A equipe, que marcou história em Carlos de Alencar Pinto, conquistou o estadual naquela temporada e foi um dos ataques mais positivos do futebol brasileiro em 2014.

O vice da Copa do Nordeste e mais um quase acesso não apagaram os feitos do time comandado pelo R8 em campo.

A consagração

A temporada 2015 começou mais uma vez com o alvinegro como favorito nas competições em que iria disputar.

A Copa do Nordeste, que já havia batido na trave em 2013 e 2014, veio para coroar o maestro alvinegro.

O título conquistado de forma invicta e o belo futebol apresentado em campo eram a celebração de uma base sólida que permanecia em Porangabussu desde 2013 e que tinha em Ricardinho o foco central.

Ricardo ainda foi importante na fuga contra o rebaixamento à Série C do nacional.

Ao longo de todas essas temporadas o meia foi assediado por várias equipes do futebol brasileiro. Porém, o clube fez esforços para mantê-lo atuando com o manto alvinegro.

 

Bola no pé e cabeça erguida, características que só os craques possuem.

 

Ricardinho é ídolo da torcida alvinegra não por ter uma qualidade técnica acima da média do nosso futebol local, não é ídolo por sempre ser solicito com a torcida, seja presencial ou virtualmente.

Ricardo Dias Acosta é ídolo porque sempre demonstrou respeito com a camisa alvinegra. Seus feitos em campo são apenas reflexo de um jogador que foi abraçado e abraçou a maior torcida do estado.

Para Ricardinho todo o respeito, admiração e agradecimento por tudo que conquistou com nosso manto.

Obrigado, maestro.

Veja isso

Heróis da permanência #06 – Luiz Otávio, a eficiência necessária

Sem ter vida fácil em nenhum jogo, o zagueiro mostrou a importância de ser eficiente …

Um comentário

  1. Maestro ídolo sempre…parabéns…amooo…continue conosco…deus te abençõe e te ilumine sempre…sua fã incondicional e pra sempre…euda lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *