terça-feira , dezembro 11 2018
Início / Opinião / Parabéns aos envolvidos

Parabéns aos envolvidos

Dos trinta pontos disputados nesse período conquistamos apenas sete, a título de comparação, em 2015, quando brigamos pra não cair, o time chegou a marca de doze partidas sem vencer.

A Série B é um campeonato extremamente competitivo, equilibrado e nivelado (muitas vezes por baixo), não se pode brincar ou cochilar ao longo da competição, um clube que tem a intenção de conquistar o acesso não pode se dar ao luxo de ficar, no mínimo, três jogos sem vencer uma partida, qualquer resultado contrário a isso é assinar uma declaração informal de desleixo com ingresso para a Série A.
 
De quem é a culpa?
Ficar em jejum de vitórias só gera problemas, é cultural no futebol brasileiro querer achar um culpado pra situação, inúmeras dúvidas surgem na cabeça do torcedor, e isso se agrava quando o histórico recente de insucessos é grande e ainda latente na memória da torcida. 
 
Sérgio Soares, Robinson de Castro e os jogadores são os alvos mais naturais para a ira da arquibancada, tem que se achar um culpado, alguém tem que sofrer as consequências dos fracassos no campeonato. 
A direção é culpada por contratar aos montes e por muitas vezes sem qualidade técnica suficiente pra suprir nossas necessidades. Os jogadores por terem todas as condições para executar suas atividades de forma eficiente e ainda assim errarem lances bobos nos jogos, e o treinador, esse com a fatia maior de responsabilidade no atual momento.
Sérgio Soares visivelmente não vem conseguindo mudar o rumo das coisas em campo. É bem verdade que na partida de ontem diante do Luverdense o time foi diferente, tivemos mais chances e pecamos novamente em conclusões juvenis até, o futuro é incerto e tenso pro nosso lado, se vamos subir? Não sei.
A única certeza que tenho é que: nós, torcedores, somos os menos culpados nisso tudo.
 
Dez jogos sem vencer é o cúmulo do exagero para quem (ainda) sonha em acesso. O Ceará precisa com urgência acordar para o campeonato.

Veja isso

Heróis da permanência #03 – Éverson, a base de tudo

Um dos grandes clichês que costumamos usar quando falamos sobre futebol é que “todo grande …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *